Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Xodó das redes e estrela de comercial, bebê down nasceu com 1,3 kg e lutou para sobreviver

Por Jairo Marques

Lucca não completou nem dois aninhos (tem 14 meses) e já virou uma sensação midiática. Não é para menos, ele é o primeiro bebê com síndrome de down a protagonizar uma companha de uma das marcas de produtos de higiene infantil mais famosas do mundo, a Johnson’s.

A imagem do pequenino tateado o vento se espalhou pelas redes sociais e milhares de pessoas aprovaram a promoção da diversidade e se emocionaram com os movimentos e a beleza “fora dos padrões” do menino.

Mas a fofura de Lucca foi antecedida por uma grande batalha por sobrevivência.

“Ele nasceu, com 32 semanas e 1,3 kg, o único sentimento era de amor e de querer ficar o tempo todo ao seu lado, e foi assim durante 36 dias na UTI, onde ele bravamente lutou por sua vida com nossas vibrações de amor”, diz a mãe, Regina Berzins, 38, dona de um salão de beleza.

O menininho down, o primeiro no Brasil a ganhar o título de “bebê Johnson’s”, é o terceiro filho de Regina, que nunca tinha pensado em transformá-lo em modelo.

“Comecei a participar de um grupo de mães de crianças com down, onde tenho aprendido muito! Neste grupo compartilharam que a Johnson estava buscando uma criança down para uma campanha e inscrevemos ele no último dia à noite. No dia seguinte, me ligaram pois gostariam de ver ele pessoalmente. Ele foi selecionado juntamente com outras duas crianças”.

A realidade de Regina e do marido Rafael Caetano Tongnole, 39, diretor em uma empresa de seguros, foi a mesma de milhares de famílias brasileiras que recebem a notícia de que terão em casa uma criança com deficiência intelectual: um momento inicial de desinformação, desespero e angústia.

“Vivemos momentos muito difíceis de assimilar quando ficamos sabendo que o Lucca tinha down. Sofremos com o despreparo de médicos que não souberam nos orientar adequadamente. Mas Deus é muito generoso e foi colocando profissionais maravilhosos para nos orientar e nos ajudar a compreender como seria a vida do Lucca.”

Depois de compreenderem melhor a realidade que teriam, papai e mamãe abraçaram com força o seu bebê e foram buscar a melhor maneira de fazê-lo ter uma vida plena, digna e inclusiva.

“Sempre tivemos um pensamento de que o Lucca era perfeito para nós! Não nós importávamos com os outros! Tínhamos certeza de que qualquer que fosse as condições dele, toda nossa família iria amá-lo, sempre! Isto torna nossa jornada mais leve! Sem se importar com julgamentos externos”

Embora trate-se de uma ação mercadológica, um bebê down aparecer como símbolo de uma grande marca tem potencial para abrir mentalidades, para dar esperanças de um mundo mais inclusivo, para ampliar o entendimento de que a capacidade humana é muito maior do que supõem os preconceitos, os achismos e as barreiras de atitudes.

“Estamos felizes demais! Representar a história de famílias tão incríveis e bebes tão guerreiros por suas vidas, é uma honra divina! Só temos que agradecer por tudo isso! A Deus por este presente, aos pais de crianças down por nos acolherem com tanto carinho, aos dedicados profissionais que acompanham o Lucca e nos ajudam nesta jornada, aos familiares e amigos que estão vibrando conosco e um agradecimento especial para ao time da Johnson e ao Nizan Guanaes e todo seu time da Dm9 pela produção desta linda campanha!”

Assista ao vídeo da campanha, abaixo:

Blogs da Folha