Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Santos inicia ‘choque’ de acessibilidade

Por Jairo Marques

Meu povo, Santos, no litoral paulista, uma das cidades mais antigas e conhecidas do Brasil resolveu, finalmente, tomar uma medida ultramoderna: vai começar a promover um verdadeiro “choque” de acessibilidade e inclusão em diversas áreas. Demorô aêêêê

O programa “Santos Acessível” dará o seu pontapé inicial nesta terça-feira (3), quinta-feira (5), a prefeitura mudou a data, desculpem, quando o Diário Oficial da cidade, que também funciona como uma espécie de jornal com informações sobre o poder público, terá uma versão online com audiodescrição de seus vídeos para os cegões.

Dessa forma, o deficiente visual que acessar a página www.santos.sp.gov.br/?q=diario-oficial poderá receber em áudio as “infos” sobre decretos e medidas administrativas tomadas pelos ‘pessoais’ que mandam e também vai poder ter noção mais ampla do material produzido em vídeo.

Também nesta semana Santos vai começar a distribuir selos de qualidade em acessibilidade para órgãos privados diversos como restaurantes, bares, lojas. Para ganhar estrelinhas :mrgreen: é preciso dar condições para qualquer “serumano” use o local com dignidade.

Assim, tem rampa, por exemplo, uma estrela, tem cardápio em braile, duas estrelas, tem um profissional que domina libras, mais uma… até o máximo de cinco estrelas. Só vou querer frequentar os estrelados, falai? 😀

Outra medida tomada pela prefeitura foi a implantação de uma praia acessível permanente aos finais de semana na cidade. Ou seja, ninguém vai depender de projetos temporários. Quando o malacabado tiver vontade e molhar as partes, vai até “Canal 3” ou nas proximidades do Aquário Municipal (alternadamente) e terá a infra necessária.

praiasantos

“Tio, mas e aquelas calçadas e rampas ‘meaboquetas’ da cidade?”

De fato, uma cidade turística e que abriga tantos moradores idosos (é uma das cidades do país com maior população de pessoas acima de 60 anos) não pode ter passeios tão trágicos, né, não?

O compromisso da administração é a padronização do calçamento de acordo com normas técnicas e a retirada da fatídica pedrinha portuguesa, que está por vários cantos da cidade. Uma lei em fase final de votação pretende evitar que cada um faça o que quiser nos passeios, mas, sim, siga regras.

A previsão, agora é sentar e chorar, é que dentro de VINTE ANOS, todas as calçadas de Santos estejam bacanudas. Acho que daria para fazer mais rápido, será não?!

Uma Secretaria de Cidadania está a cargo de articular as ações de aumento de acessibilidade na cidade. É acompanhar e cobrar para que o direito da diversidade seja respeitado, finalmente.

Quando uma prefeitura anuncia publicamente sua intenção de ser mais acessível, a meu ver, está dando o exemplo e criando uma corrente para os demais componentes que formam uma cidade também ajam para o progresso de uma causa.

Evidentemente que apenas querer não muda a vida de ninguém e é necessário que uma renovação do compromisso seja feita de tempos em tempos.

* Imagens de divulgação

Blogs da Folha

Versão impressa

Publicidade
Publicidade
Publicidade