Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Com que carro eu vou?

Por Jairo Marques
Meu povo, embora a situação econômica esteja bastante complicada, o emprego para pessoas com deficiência ainda seja um desafio e o valor dos carros no Brasil sejam escorchantes, um veículo leva uma independência única para o povão “malacabado”. Muita gente me pede sugestão de qual seria a charanga mais adequada para um quebrado, mas isso depende demais de qual a necessidade exata cada pessoa tem e que tipo de conforto ela espera de um carro.
Atualmente, vive-se ou problema adicional na questão da mobilidade individual, que, infelizmente, é a solução mais rápida e efetiva no Brasil para garantir independência e qualidade de vida para quem tenha uma deficiência física, sobretudo: os valores que permitem comprar o veículo com isenção de impostos (o que é um direito) estão defasados e desatualizados. O limite de compra até R$ 70 mil para desconto no ICMS (imposto estadual) reduz bastante as possibilidades de compra e diminui a margem de busca por algo ideal a cada situação.
Bem, mas um carro que ainda é possível adquirir com as isenções (é errado chamar de desconto, uma vez que as montadoras vendem sobre preço cheio e quem abre mão de valores são os governos) e que oferece boas condições de qualidade, desempenho e conforto para pessoas com deficiência tem sido o Honda Fit.
fit1
O carro permite rebatimento nos bancos que dão muito espaço interno e permitem a acomodação da cadeira de rodas (ou de muletas, de equipamentos outros de assistência) de maneira bastante tranquila.
O Fit também possui ajustes de altura, de aproximação com o volante, de cinto de segurança que auxiliam bastante a dirigibilidade de quem tem lá suas partes lascadas… 😉 .
fit3
Sim, é caro para a maioria dos brasileiros, ainda mais para aqueles com deficiência que possuem dezenas de prioridades em seus dia a dia.
“Tio, cê tá levando um $$$ pra fazer propaganda da montadora japa?!”
Não, “zente”, a ideia é levar a vocês um serviço de avaliação e uma opção mais… calibrada, digamos assim.
Abaixo, tem um vídeo com um teste que fiz na charanga com mais dicas, pontos positivos e negativos do carro! Bora ver?!

Blogs da Folha

Versão impressa

Publicidade
Publicidade
Publicidade