Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Sofia quer outro mundo

Por Jairo Marques

 

Sofia está nas páginas deste blog deste a sua crianção. Representa muitos dos valores defendidos aqui
Sofia está nas páginas deste blog deste a sua crianção. Representa muitos dos valores defendidos aqui

Posso dizer com um baita orgulho que uma criança praticamente nasceu e está crescendo ao lado deste blog. A pequena serelepíssima Sofia é a cara, a identidade, o humor, a pegada do “Assim como Você”.

Aqui, uma das “malacabadinhas” mais assumidas da turma penou para arrumar uma escola que entendesse suas demandas um pouquinho mais apuradas, brincou livremente, viajou, sorriu, chorou, aprendeu e ensinou.

Nasceu com uma tal de paralisia cerebral e tem baixa visão, o que ela não tem é preguiça de viver e de ser feliz.

De parada, Sofia não tem nada. É inteligente, astuta, inquieta. Sofia é a obra perfeita gerada de uma arquitetura nobre muito bem sucedida de inclusão a todo custo e de uma mãe, Denise Crispim, imbuída de um espírito incansável para sempre fazer o melhor pela cria.

Mas o que quer Sofia? Sofia tem uma montanha de pedidos. Sofia quer outro mundo. Ela mesma conta nas linhas abaixo… Engraçadíssima, ligeira, menina e criança!

Divirtam-se muito! E bora molhar os olhos novamente de tanto rir ou de tanto chorar!!

♦♦♦♦

Oi, meu nome é Sofia, tenho nove anos. Eu gosto de brincar e tomar sorvete. Essas as duas coisas que eu mais gosto. Eu também gosto de ler e gosto das minhas amigas. Tenho amigas de todas as idades, até umas que tem mais de vinte anos.

Eu tenho amiga em Porto Alegre, Londrina e Pelotas. E tenho amigas em Osasco e São Paulo também. Gosto mais de amigas meninas do que de amigos meninos, mas na minha sala tem meninos também e nem sempre eles são chatos.

Eu gosto de praia e eu gosto de brincar, como toda criança. Eu queria ter um cachorro, um gato e uma irmã, mas minha mãe disse que agora não dá. Eu li que no Japão eles alugam gatos para a gente levar para casa por algumas horas ou dias. Mas minha mãe disse que também não dá para ir para o Japão agora. 

Sofia, com a mãe, Denise, ao fundo, em uma de suas várias veiagens
Sofia, com a mãe, Denise, ao fundo, em uma de suas várias veiagens

Minha mãe trabalha muito, mas tem muita coisa que não dá. Eu gosto de assistir Chiquititas e queria um diário digital igual ao da música da Mile. Mas minha tia disse que custa R$ 250 e minha mãe disse que não vai pagar tudo isso.

Então eu quero as bonecas do filme Frozen, será que isso vai dar? Ainda não sei. Eu gosto de viajar e tomar sorvete em lugares diferentes. Viajar e não tomar sorvete não tem graça. Eu gosto de viajar, mas não gosto do tempo que a gente tem que ficar esperando para chegar. Demora muito.

Eu quero ir para a Itália e minha mãe quer me levar para a Disney. Um amigo da minha mãe me deu um DVD sobre a Itália e eu acho que lá é o lugar mais bonito do mundo. Mas o mundo é bem grande.

Sofia quer ir ao Japão alugar um gato por alguns dias. Denise, a mãe, diz que por enquanto, não. E da-lhe sorvete
Sofia quer ir ao Japão alugar um gato por alguns dias. Denise, a mãe, diz que por enquanto, não. E da-lhe sorvete

Todas as crianças têm que ter uma casa e uma família. Seria bom se tivessem um cachorro também. Eu não tenho, mas minha prima tem. Eu não tenho uma irmã, mas tenho um primo. Um primo que gosta muito de futebol. Eu gosto de brincar de futebol, eu sou a goleira, mas detesto assistir. Meu primo assiste ou fala de futebol o tempo todo.

As coisas que eu não gosto são calçada esburacada, fazer cirurgia e sentir dor. Eu tenho mais medo de calçada esburacada do que de barata. Se eu passo numa calçada esburacada minha cadeira treme, parece que eu vou cair e eu fico toda dura e começo a gritar.

Devia ter uma lei proibindo calçada esburacada. Eu sou cadeirante, tenho paralisia cerebral e baixa visão. Isso significa que eu sou uma pessoa com deficiência múltipla. Sabe o que é deficiência múltipla? É assim: se você tem uma barbie, você tem uma barbie e pronto. Se você tem muitas barbies, você tem barbies múltiplas (pode ser duas, três ou mil).

Sofia rindo como nunca em um banho de mar
Sofia rindo como nunca em um banho de mar

 Se você dirigir a cadeira com uma barbie no colo, é difícil. Com muitas, é mais difícil ainda. Mas não é impossível. Criança com deficiência múltipla também brinca. E vai para escola. Faz manha só às vezes. Eu não tenho bom humor de manhã. Não gosto de conversar de manhã.

 Não é porque eu sou cadeirante que eu sou neném. E eu sei falar, por que as pessoas acham que não? Outra coisa que me deixa brava é quando as pessoas dizem que papai noel não existe. Nossa, eu fico muito brava.

Tem gente que não acredita nem na fada do dente. As pessoas são muito estranhas. Eu gosto de cantar, de dançar, de ler e de escrever. Eu escrevo muito. Eu não sei se crescer é muito bom. Adulto pode passar esmalte quando quiser, mas não tem muito tempo para tomar sorvete.

sof4

Adulto pinta cabelo, essa deve ser a melhor parte. Mas por enquanto eu quero ser criança, mesmo, será que eu vou ganhar presente?

Se eu pudesse escolher um presente para todas as crianças seria uma família. Porque tem gente que não tem casa, família, nada. Também queria que ninguém ficasse doente no mundo, nem sentisse dor. E que todo mundo entenda que o Papai Noel existe, para ele não ficar chateado.

Blogs da Folha