Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

À primeira vista

Por Jairo Marques

tina32

Depois de tanto assunto sobre Copa do Mundo e exoesqueleto 🙁 , não dava para fechar a semana sem falar um cadinho de amor, né? Pois bem, o Dia dos Namorados foi ontem, mas nunca é tarde para contar uma história daquelas que fazem os coraõezinhos mais duros ficarem molengas como o mais puro creme do milho.

Bem, a história é de um casal bacanudo demais: meus amigos Edson e Tina Santi. Ele malacabado, analista de sistemas e cantor nas horas vagas. Ela, gerente financeira, professora por formação, toda inteirinha… O amor foi à primeira vista, com direito à bolinho na boca e tudo, e já dura 33 anos. Quem conta mais pra gente é a Tina.

tina6

“Nos encontramos pela primeira vez em 24 de maio de 1980, em uma festa em uma Igreja Batista, na zona oeste de São Paulo. Nos falamos, conversamos, dei bolo com meu garfo na boca dele (veja só que intimidade)…. Ah, ele já era malacabado, bengaludo, teve pólio aos sete meses de idade, mas isso nem chamou minha atenção, afinal ele sempre foi muito comunicativo e me cativou desde o primeiro momento”.

Olha que aí o cupido tratou de lançar suas flechas… Depois de mais dois encontros, meio sem querer, menos de um mês depois de terem se visto pela primeira vez, o namoro começou. Ela tinha 16 anos (ui, gatinha 🙂 ) e ele era rapagão de 19.

“Foi com certeza uma paixão “daquelas”. Havia barreiras enormes, mas sabíamos que derrubaríamos todas. Como paixão não pode esperar, nos casamos após 15 meses de namoro, eu com 18 anos e ele com 20 anos. Ele fez 21 na lua de mel. Nosso casamento foi lindíssimo. Ele cantou para mim e foi muito emocionante”.

tina5

E a tal paixão continua aí, a cada vez mais sólida.

“Continuamos apaixonados, porque desde o começo dizíamos que o amor só aumentaria com o tempo e foi o que aconteceu. Mesmo com altos e baixos, não nos largamos. Muito pelo contrário: a cada queda nos fortalecemos mais. Gosto de muitas coisas nele, mas vou mencionar as que sempre gostei e que não mudaram com o tempo: o caráter e o espírito de guerreiro, isso sem dúvida alguma me faz amá-lo cada dia mais. Temos um casamento muito legal, com cumplicidade, respeito e um amor incondicional há 33 anos. Temos uma filha de 31 anos, um genro e um neto de 14 anos. E, claro, duas gatas muito fofas também”.

tina72

Há quatro anos, Edson abandonou as bengalas e abraçou a cadeira de rodas de uma vez por todas para ganhar mais independência e diminuir as quedas.

No que diz respeito ao coração, Edson pode ficar tranquilo:

“Quero passar com ele o resto da minha vida simplesmente porque ele é especial demais”

E com suspiros, bom final de semana e beijo nas crianças!

 

Blogs da Folha