Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Deficiência e obesidade

Por Jairo Marques

“Zimininos”, o buraco é fundo e o trabalho é árduo…. O povão com deficiência deste Brasil, sil, sil está engordando mais do que leitoa em véspera de casamento de filho de açougueiro. A coisa tá ficando ‘complicosa’ com as balanças tudo.

A obesidade tem atingido a população do país como um todo. Não tive acesso a nenhum estudo, mas, de maneira nada científica, diria que a incidência é muito forte entre os ‘malacabados’, em especial aos cadeirantes.

As razões para isso, podem-se supor diversas: acesso a cadeiras de rodas mais leves e, consequentemente, menos esforço físico (o que não é ruim, claro); mais ‘quebrado’ trabalhando e com possibilidade de ter carro, o que implica menos movimento ainda; acesso a mais consumo de alimentos diversos, incluindo aí porcariada que só faz crescer o cinto de toucinho… 😯

leitoa

Eu me enquadro em todos esses apontamentos e estou que é banha pura, uma beleza…. 🙄

“Ah, tio, e porque esses esgualepados não tomam rumo e vão malhar?”

Bem, além de um corpão mole, que temos mesmo :cool:, há uma questão de praticidade que precisa ser considerada, ser avaliada.

Para que um cadeirante vá a uma academia, muitas vezes, não é simplesmente fazer a matrícula, catar os ‘trem tudo’ e deitar o cabelo para a esteira, os halteres e tudibão…

É preciso saber se existe acessibilidade mínima no matadouro de calorias 😛 , se vai haver transporte bacana para chegar até lá, se é possível usar o banheiro, se os professores terão preparo/atenção/disposição para pensar em uma prática de exercícios ligeiramente diferente.

gordo1

Fato é, porém, é que deficiência e obesidade é uma combinação nada boa. Além dos problemas que todo mundo conhece (riscos cardíacos, riscos de contrair diabetes, riscos ocasionados pelo colesterol alto etc), um cadeirante gordão perde mais autonomia, perde mobilidade, ganha problemas respiratórios e aumenta seu desgaste geral.

Então, algo precisa ser feito. E qual caminho trilhar? Os básicos, procurar ajuda de nutricionistas, pensar em atividades físicas que você possa fazer com facilidade, procurar um esporte adaptado, procurar ajuda médica.

Um grupo de ‘malacabados’, liderado pela queridíssima e ‘dilícia’ (ui) Daniele Nobile, que é esportista e tem uma ligação estreita com a saúde do corpo, resolveu criar o movimento: “Por uma vida mais saudável sobre rodas”.

A Dani criou um blog (é só clicar no bozo que levo até lá)  que será recheado de dicas de como fazer para que os ‘quebrados’ percam peso. São tanto sugestões de alimentação, como de exercícios, posturas e tomadas de atitude. bozo

O bacana do blog é que o ‘galerê’ tem feito compromissos de perda de peso e se ajudado mutuamente nessa labuta, que não é simples, não é fácil.

blogdani

Fica a dica… e é bacana, heim?!

Blogs da Folha

Versão impressa

Publicidade
Publicidade
Publicidade