Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

O Rappa incluiu

Por Jairo Marques

Costumo cacarejar sempre que, com apoio de nomes muito conhecidos das massas aqui no Brasil, várias questões que ainda são verdadeiros mistérios em relação ao povão ‘malacabado’ seriam ‘difinitivamente’ vencidos, resolvidos.

E não é preciso muito “rififote”, não! Basta uma citação sobre a necessidade de acessibilidade universal, uma imagem de um quebrado junto de um ator todo pimpão, um alerta sobre respeito a leis inclusivas em um show, uma ação concreta de ‘todo mundo junto’ hora ou outra.

A velocidade de mudanças com apoio de pessoas que se comunicam com grandes públicos fica astronômica, é de certeza!

E não é que o grupo “O Rappa”, um dos mais populares do país, com legiões de fãs espalhadas pelo país, mandou brasa em passar uma mensagem de igualdade entre as pessoas em um dos seus últimos clipes?

Não sou dos mais ligados à banda, mas gostei demais do resultado, do recado e da estética do clipe de “Auto-reverse”, que tem uma mistureba de gente estropiada com normalzinha que dá gosto!

A letra da canção também guarda inclusão. Saquem essa estrofe:

“Uma doce família // Que tem a mania // De achar alegria // Motivo e razão // Onde dizem que não// Aí é que tá a mágica meu irmão

Curtam o clipe… não é toda hora que acontece!

Blogs da Folha