Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Um carro para conduzir cadeirantes

Por Jairo Marques

“Zente”, trago hoje uma novidade fresquinha e que, seguramente, vai levar muita qualidade de vida para os “quebrados” deste país!

Apesar de, atualmente, haver muitas condições para que pessoas com diversas deficiências consigam dirigir, ainda existe um número importante desse público que, por questões diversas, só conseguem ir mesmo na janelinha… 😀

Pois bem, no Brasil, até agora, as opções de carro e de adaptações para que um “malacabado” pudesse entrar nele “de cadeira e tudo” eram muito poucas e extremamente caras.

Alguns veículos “Doblos”, da Fiat, por exemplo, com um elevadorzinho caaaaaro se tornaram táxis e servem, sobretudo, o povão que usa “cadeira elétrica” (e morre tudo eletricutado 😯 )

Para deixar mais claro para quem não manja das questões desse mundo paralelo onde vive o povão com deficiência: para algumas pessoas, deixar a cadeira de rodas para se acomodar em um banco de carro é mais trabalhoso que tirar caroço de melancia…

A melhor solução, então, é entrar com tuuuudo, mas poucas charangas vendidas no nosso país permitiam fazer algo seguro, conveniente e prático para que isso fosse possível.

Agora, aquela lojona que domina o mercado de produtos para os “malacabados”, a Cavenaghi, está apresentando uma adaptação que vai ao encontro do que muuuuuitos precisam.

A empresa está adaptando o veículo Spin, da Chevrolet (com preço médio de R$ 49.700, mas com as isenções que temos direito pode cair para algo em torno de R$ 33.000), com uma rampa traseira móvel que permite o caboclo ir “montado” pros seus “devorteios”, como dizem lá na minha terra.. 🙄

O carro, quando adaptado, tem o piso rebaixado, o que vai permitir a acomodação “di boa” do cadeirante. Sobra espaço para mais quatro brasileiros na ximbica! Aêêê

Na imagem, cadeirante, auxiliado por um “empurrador”, entra pela traseira do carro por meio de uma rampa

Há um sistema de travas no carro, que se acopla à cadeira, que deixa o brasileiro mais firme do que minhoca no anzol… 😆

“Zimininos”, o papo agora é sério. Essa adaptação é algo que muita gente que dependia de transporte especial precisava para ter mais autonomia. Ou quem só andava de táxi porque não havia opção ou ainda para àqueles que sentavam e choravam…

Pensem comigo:

– Hoje a lei permite que pessoas com deficiência “não condutoras” tenham os mesmo descontos de imposto que as condutoras….. já é um adianto! O veículo fica mais em conta.

“Tio, mas essa adaptação deve custar uma fábula!”

– Baratinho não deve ser. A empresa não me passou o valor, de qualquer forma, meu povo, atualmente, há um financiamento exclusivo e com taxas de juros bem pequenas para isso: adaptações ou compra de equipamentos que os “malacabados” precisam.

Enfim, quis deixar essa dica aqui porque acho que vai servir a milhares de pessoas…. Tem que pensar na possibilidade…. tem que se planejar… E aí?

Blogs da Folha

Versão impressa

Publicidade
Publicidade
Publicidade