Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

“No meu governo…”

Por Jairo Marques

Meu povo, as eleições deste ano foram e estão sendo marcadas pela forte presença da discussão da temática “pessoa com deficiência”, que aqui neste blog são as “pessoas malacabadas” mesmo! 😉

Como político não rasga dinheiro e muito menos voto, eles se deram conta que o universo de pessoas que compõem esse grupo que dá um trabaaaaaalho lascado, mas que toma banho bem de vez em quando, é muito representativo e pode fazer a diferença na hora da contagem das cédulas.

E tem mais, geralmente, um caboclo que não enxergue, que não escute, que não ande acaba por puxar os votos de toda a família. Os exemplos de “estropiados” com altas votações estão ai para provar isso.

Fui dar uma espiada no do que dizem, de fato, os dois postulantes ao cargo de prefeito de São Paulo em relação ao povão desse mundo paralelo, onde somos invisíveis, não trabalhamos, não transamos e nem coisa nenhuma, chamado Matrix.

Tanto no programa de governo do Serra (PSDB) quando no do Haddad (PT) há partes exclusivas para tratar dos “malacabados”, com algumas semelhanças e com algumas promessas distintas.

Cito apenas o exemplo de São Paulo por ser uma cidade que acaba por inspirar outras administrações e também porque todo mundo, de alguma maneira, acaba passando por aqui, né, não?!

O plano previsto pelo petista é mais amplo e, ao mesmo tempo, mais prolixo. Fala, fala e repete ideias. Em alguns momentos, lendo o texto, tive a impressão de que parte do material foi copiado e colado de outras sugestões.

Um erro importante no documento do Haddad é que ele trata os “malacabados” como “portadores de deficiência”. Como ele foi ministro da Educação, a meu ver, seria obrigação dele ter pleno conhecimento do termo indicado pela ONU.

Bem, mas como eu disse mais para “arriba” as demandas do povão do meu time aparecem mais vezes no projeto do PT.

Quando se fala em saúde, ele sugere “centros de referências” e serviços de proteção social especial pros ‘dificientes’; quando se fala em habitação, ele pontua que é preciso reservar casas pros ‘estropiados’, quando se fala em educação lembra-se de há alunos que precisam de atendimento diferenciado.

Como ele é do mesmo partido de Dona Dilma, o tempo todo as questões das pessoas com deficiência no município são atreladas ao plano federal “Viver sem Limite”.

Mas há também tópicos específicos (São Paulo Sem Limites e Acessibilidade), que basicamente repetem o que foi dito ao longo do texto, em que é feita a promessa de, até 2014, TODA A FROTA de ônibus da cidade estar acessível. Caso ele seja o vencedor, essa eu vou acompanhar sentado…. 😯

O programa do Serra é mais compacto e objetivo. Não erra o termo e elenca 12 pontos do que pretende fazer, caso seja eleito, pros ‘zimininos e zimininas’ com deficiência.

A única promessa numérica escrita, digamos assim, é a capacitação de 100 mil cuidadores para atender os mais lascados e mais “véios”.  Há maior presença de medidas urbanas que ele pretende tocar em prol da acessibilidade como melhoramento de calçadas, implantação de sinais sonoros.

De forma geral, a mim pareceu que as palavras usadas, as reflexões encaminhadas foram mais bem escolhidas e com maior domínio de causa. Como já foi prefeito da cidade, o tucano fala em retomar investimentos de áreas que atuou e incrementar programas de educação, saúde.

Nos dois programas, me incomoda um pouco uma certa visão assistencialista e de gente enferma usadas para descrever as demandas do povo ‘malacabado’. Tive a impressão que ambos ainda olham esse grupo social como há 200 anos.

É evidente que a pessoa com deficiência tem várias demandas de reabilitação, de tratamento, mas é preciso dar dignidade de cidadão a elas. Sinto que o diálogo estabelecido pelos dois programas não é voltado diretamente aos deficientes.

Enfim, é preciso admitir que há avanço. Que o tema tem ganhado força politicamente. Vai de cada eleitor interpretar quem parece mais preparado e com melhores ideias para, também, agir diante dessa demanda sociais.

Abaixo eu coloco os links para os dois planos e os votantes em São Paulo que tiverem interesse poderão ver com mais detalhes o que relatei! Para quem não dessa terra, procure se informar! Hoje em dia, tem quase tudo nas “internets”!!!

Para ler o programa do Serra, clica na florzinha:

Para ler o programa do Haddad, clica na arvorezinha: 

Blogs da Folha

Versão impressa

Publicidade
Publicidade
Publicidade