Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Só dois minutos

Por Jairo Marques

Sei que todo frequentador deste blog já viu “trocentas” denúncias (em vídeo ou em fotos) de gente desavisada ou de má-fé que usa vagas reservadas para pessoas com deficiência.

O problema é mundial, com a diferença que, em países mais avançados em educação, em fiscalização, em cidadania a prática acontece com menor intensidade e, quando acontece, geralmente é punida.

Mas esse curta-metragem que trago hoje é um soco fortíssimo na cara, sobretudo para quem não entende a razão de os ‘malacabados’ terem o direito de vagas reservadas.

É uma maneira meio dura de começar a semana, mas, por outro lado, já dá um choque de realidade na gente para ser ainda mais atuante na preservação deste direito…

O curta é em língua francesa, feito em Quebec, no Canadá (corrigindo informação anterior), e como é natural nesta escola de cinema os diálogos são duros, o filme é direto e reflexivo e a mensagem ficará na cabeça de quem vir por horas e horas…

Duvido que não haja muuuita gente que pense exatamente da mesma maneira como o narrado abaixo. Mas chega de dar dicas…. vejam… acho que vão se agitar.

Para os mais sensíveis, recomendo evitar…. para os cegões, o tio tentou facilitar deixando todas as legendas disponíveis logo embaixo do vídeo.

[youtube 2hXszgD5n_0&feature=youtu.be]

 

Só dois minutos

De novo vamos ter que estacionar a três quilômetros da entrada…

Olha, ali tem uma vaga

Ah, não, é reservada para deficientes

Ah, não se preocupe, vai ser só dois minutos

Ah, tá.. dois minutos.

É costume seu se passar por pessoas com deficiência?

Não…. eu…. eu… eu finjo…

De qualquer forma, Marie… Você já viu alguém numa cadeira de rodas…

Sair de seu carro? Eu não…

Se eles existem, devem ter caminhões enormes…

E você viu o tamanho da vaga!

Pra sua informação, as vagas não são só para cadeirantes…

Meu tio Roland, depois de uma operação…

Teve direito a uma permissão por algumas semanas…

Tio Roland…. de qualquer jeito…

Olha, eu não tenho nada contra essa gente… mas…

Se são capazes de fazer compras como todo mundo…

São capazes de estacionar como todo mundo…

Seja do lado da entrada ou no fundo do estacionamento.

Então…A gente também?!

Não, a gente tem uma boa razão…

Como de costume, estou estacionando do outro lado do mundo! Bom dia!

Ei… se perdeu ou o quê?! Estamos te esperando…

Eu chego já, já…

Hum… Você está bem sentado?

O que você acha?

Valerie está aqui…

Ah, sim… Valerie.

Claro!… Hugo?!

Sim, sim… desculpe, tenho que fazer umas compras.

Vou demorar uns dois minutinhos, mas já chego.

Desde as 8h estando tentado vir.

Café da manhã, banho, fazer a barba. Nem tive tempo de lavar os pratos!

Afora os pratos… posso fazer algo para te ajudar?

Justamente… Por acaso você tem uma máquina de desintegrar carros pretos?

Não tenho, mas posso conseguir uma no Natal. Prometo!

Perfeito… Obrigado!

Quer saber? Eu não preciso ficar me justificando.

Eles são de boa, simpáticos..

Mas não é minha culpa se são deficientes.

Suas permissões e estacionamentos VIPs

São um privilégio! Não é um serviço essencial.

Viu?! Não demorou tanto tempo assim…

Foram mais de dois minutos…

Não fizemos mal a ninguém…

Blogs da Folha

Versão impressa

Publicidade
Publicidade
Publicidade