Jairo Marques

Assim como você

 -

Jairo Marques, que é cadeirante, aborda aspectos da vida de pessoas com deficiência e de cidadania. Aqui, você encontra histórias de gente que, apesar de diferenças físicas, sensoriais, intelectuais ou de idade, vive de forma plena.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Mulher, tetra e linda!

Por Jairo Marques

Claro que este blog não deixaria passar sem uma bela homenagem esse tempo em que a mulher se torna o expoente maior dos palcos da sociedade. Afinal, talvez, 60% dos meus leitores sejam gatas, mães, mães-gatas, avós, tias, amigas, queridas, amadas!!!

E o que fazer a altura desse gênero que tanto me prestigia? Não há muito segredo: tem de ousar, tem de ser delicado, tem de transgredir, mas com sensualidade, tem de ser original, mas resguardando o bom gosto…

Então, o negócio foi chamar…. Carlena Weber para a missão! Está bela tem uma personalidade tão aguerrida e bem lapidada que, a meu ver, representa a altura o conjunto das mulheres que prestigiam esse espaço seja atrás de identificação para suas próprias batalhas, seja para encontrar um sorriso, uma história edificante, um pequeno ensinamento, a abertura de um caminho…

 

Pelo relato, pelo retrato, pela força estonteante de driblar os rótulos de uma deficiência… Fecho a “Semana da Mulher” com essa linda, loira, gaúcha, profissional da assistência social, tetraplégica e engajada até o pescoço na intensa batalha de fazer o mundo um lugar melhor para todos…

TETRA

Pra começar este momento de celebridade no blog do tio (sou muito fã!!), falo um pouco sobre mim! Sou tetra há 11 anos! Sofri um acidente de carro no auge dos meus ricos 21 aninhos e desde então, faço parte deste mundo paralelo. Na confusão que uma lesão medular alta causa na vida de qualquer criatura, perdi peso, vontades, autoestima e depois do meu acidente fiquei sem me olhar no espelho por um bom tempo.

 

 APAIXONADA

Fotos?? Não tenho NADA que possa registrar a fase mais difícil (também a mais importante!) da minha vida. Foi muito difícil voltar a me apaixonar por mim mesma e essa paixão foi o pontapé inicial, pois acredito que as pessoas te enxergam a partir da forma como você se percebe.

 

#JUNTOEMISTURADOS

Atualmente tenho estas questões bem resolvidas, mas percebo que para muitos (e muitas) isto ainda é um desafio. Muitas pessoas me perguntam se meu namorado também é cadeirante… A sociedade insiste em pensar por ignorância ou heranças culturais que um cego só pode namorar uma cega, que o surdo só pode se relacionar com uma surda e por aí vai. E quando o assunto é sexo, as barreiras são ainda maiores.

 

TESÃO

Com a lesão medular, ganhei um novo corpo e o desafio de descobrir novas formas de prazer. Dessa maneira, assim como a reabilitação física, a reabilitação sexual também é um processo que passa por várias fases. Depois de me reinventar sexualmente, parei de pensar em como eu sentia prazer antes para me permitir sentir tesão com o que tenho, ou seja, com o que sou hoje.

 

VERGONHA DE QUÊ?

É necessário quebrar tabus, pois o tesão não está ligado somente a corpos perfeitos e beleza estética. O prazer pode rolar com olhares, gestos, cheiros… Nunca tive vergonha de expor para o meu namorado através de um papo bem legal como funciona meu corpo; nunca escondi minhas cicatrizes e sempre acreditei que de “normalidade” o mundo tá cheio e que ser diferente também pode ser uma estratégia no ritual da conquista e da sedução.

 

A IMAGEM

Sempre tive vontade de fazer um ensaio fotográfico diferente. Sim, diferente daqueles que as pessoas ficam com carinhas meigas o tempo todo e só altera o fundo da foto no estilo paisagem.

 

SENSUALIDADE

Sonhava com fotos sensuais, ousadas e de bom gosto como essas que aparecem nas revistas de celebridades! E podem ter certeza, não conheço mulher que não tenha essa vontade! Mas como nada na vida desse povo que não anda é fácil, após muitas conversas com diferentes profissionais do mundo da fotografia, nenhum deles me dava firmeza a respeito de que a cadeira de rodas seria um acessório e euzinha o foco principal em um ensaio fotográfico.

 

PERSISTÊNCIA

Mas como não desisto fácil, após muitas pesquisas, encontrei no Facebook o trabalho dos guris do Photographie Atelier e tive a certeza que meus desejos fotográficos seriam realizados! (Para saber mais sobre o estúdio, clica no bozo).

Blogs da Folha

Versão impressa

Publicidade
Publicidade
Publicidade